Entenda o que é e como funciona o financiamento de moto sem entrada

O financiamento de motos pode ser encarado como uma forma de investimento, já que, de certa forma, você estará investindo uma certa quantia no veículo. O financiamento sem entrada, por sua vez, é um investimento ainda maior, pois você acabará pagando além do valor real da moto. Por conta disso, a escolha desse serviço deve ser encarada com seriedade e é preciso tomar cuidado em todas as etapas. Veja algumas dicas de como financiar sua moto com segurança.

1.    Entender o que é e como funciona o financiamento

O funcionamento dessa transação é muito simples: você adquire o valor que precisa, depois o devolve ao banco pagando em parcelas mensais. Além disso, é necessário fornecer uma parte do valor do veículo como entrada.

Nesse sentido, os juros do serviço diminuem de acordo com o valor de entrada, assim como o valor das parcelas. Outro ponto importante é que a moto só é totalmente sua após o término das parcelas. Enquanto isso, a moto é uma garantia que o banco tem que você pagará as parcelas. Caso contrário, ele tem o direito de tomar e leiloar o veículo.

2.    Verifique a situação do CPF

Muitas pessoas que têm o CPF negativado não possuem meios de verificar as dívidas ativas. O banco sempre realiza uma análise do seu CPF para descobrir se você pode efetuar outra transação financeira. Porém se ele acha um motivo de recusa, deduz que sua renda é apertada e, pior, você não paga suas contas. Portanto, se seu nome estiver sujo, tente resolver esta situação antes de comprar uma motocicleta.

3.    Pesquise os bancos antes de financiar

Você pode financiar em uma instituição de serviços bancários ou fabricante de veículos. É preciso lembrar que os bancos possuem condições de pagamento e juros que variam. Portanto, antes de concluir uma transação, é necessário entendê-los para descobrir mais transações que podem ser salvas. Compare as condições dos cinco bancos aqui.

4.    Simule o valor do financiamento

Você pode financiar motos em bancos comuns, instituições financeiras e bancos de empresas que fabricam esse veículo (como Honda e a Yamaha, por exemplo). O ideal é que você faça, pelo menos, três simulações em bancos diferentes como garantia de um bom negócio. A razão por trás disso é a variação dos juros de banco para banco.

5.    Separe os documentos necessários para o financiamento

Depois de fazer um estudo dos valores, definição do banco e definição do orçamento, é necessário se preparar para que a transação seja concluída. Documentos como RG, carteira de trabalho, comprovante de residência (contas de água e luz ou telefone fixo) e certificado de renda podem ser usados.

O interessante é que você forneça o comprovante de declaração do imposto de renda, extrato da conta corrente ou poupança e comprovante de pagamento de faturas para que seu financiamento sem entrada seja aprovado mais rapidamente.

Compartilhe